Ligue agora 11 2144-4033

Imprensa

Imóvel fica alienado até o pagamento do empréstimo e pode ir a leilão caso o dono não honre a dívida. | Albari Rosa/Gazeta do PovoImóvel fica alienado até o pagamento do empréstimo e pode ir a leilão caso o dono não honre a dívida. 
LINHA DE CRÉDITO

Modalidade cresce embalada pelas taxas mais baixas do mercado e longo prazo para pagamento

  • Sharon Abdalla

Texto publicado na edição impressa de 29 de abril de 2015

Usar um imóvel como garantia para obter um empréstimo. Embora ainda pouco conhecida entre as modalidades de crédito disponíveis no mercado, a prática chamada de home equity vem ganhando espaço e pode ser uma boa opção para quem precisa de dinheiro para reformar a casa, pagar uma dívida do cheque especial ou usar o recurso como capital de giro da empresa.

A modalidade – também conhecida como crédito com garantia do imóvel –, é oferecida principalmente por financiadoras e bancos de pequenos e médio e têm sido impulsionada pelas taxas de juros mais atrativas e pelo prazo de pagamento longo.

Paulo de Paula Abreu, presidente da Barigui Securitizadora, conta que a carteira hipotecária da empresa cresce na ordem de 35% ao ano. No HSBC, a contratação deste tipo de crédito aumentou 7% no comparativo entre março de 2014 e o mesmo mês de 2015. O site Canal do Crédito, que oferece assessoria para a contratação do empréstimo, registrou crescimento de 35% na busca pelo serviço durante o primeiro trimestre de 2015.

Por ter menor custo e maior prazo, o home equity pode derrubar a parcela mensal pela metade em comparação com a do crédito consignado.

Gilberto Abreu, diretor executivo de negócios imobiliários do Santander

“Este ainda é um produto que tem uma carteira pequena em relação a outras modalidades de crédito, mas percebemos que novos bancos estão entrando neste mercado, ampliando sua oferta”, afirma Marcelo Prata, fundador do site e presidente da Associação Brasileira dos Correspondentes de Empréstimo e Financiamento Imobiliário (Abracefi).

A carteira de home equity no Brasil gira em torno de R$ 15 bilhões, segundo estimativa de Abreu. Só no Santander, cerca de R$ 500 milhões já foram contratados pelo sistema. “Nossa expectativa é a de que essa linha terá um crescimento superior a 10% neste ano. Ela representa uma opção barata para o consumidor em um momento em que ele busca crédito mais em conta”, avalia Gilberto Abreu, diretor executivo de negócios imobiliários do Santander. O HSBC também projeta um crescimento de cerca de dois dígitos deste mercado para 2015.

Taxas

Atualmente, a média de juros aplicada sobre ohome equity é de 1,76% ao mês e 23,32% ao ano, segundo cálculo feito por Prata. Mesmo variando entre as diferentes instituições financeiras – o Santander e o HSBC praticam taxas a partir de 1,47% e 1,5%, por exemplo – os juros ficam bem abaixo dos cobrados pelo cheque especial, 11,22% ao mês, e do crédito pessoal, 4,94% mensais.

Outra vantagem da modalidade é o prazo mais longo, de 15 a 20 anos, para o pagamento do empréstimo, que pode ser usado para qualquer finalidade. “Por ter menor custo e maior prazo, o home equity pode derrubar a parcela mensal pela metade em comparação com a do crédito consignado”, afirma o diretor executivo do Santander.
juro baixo emprestimo com garantia de imovelOs especialistas alertam, no entanto, que a modalidade não é a opção mais vantajosa para quem deseja adquirir um novo imóvel, que tem no financiamento imobiliário a alternativa mais barata. “O home equity pode ser usado para imóveis não financiáveis, como chácaras, ou com algum tipo de irregularidade”, explica o presidente da Abracefi.

Fonte: Gazeta do Povo

Compartilhe:

Artigos Relacionados